VISITE MEU NOVO SITE!

Caro Leitor,

quero convidá-lo a acessar meu novo site leonardopalmeira.com.br. Lá você vai encontrar todo o conteúdo deste blog além de informações de utilidade pública, um manual prático para pacientes e muitas novidades.

O blog continuará no ar, porém novos artigos serão publicados somente no site oficial. Espero que gostem!

12 de janeiro de 2010

Avalie seu temperamento e participe da pesquisa online.

Esta é uma pesquisa séria do grupo do Dr. Diogo Lara, da PUC de Porto Alegre, e que quer avaliar o temperamento dos brasileiros para relacioná-lo aos principais distúrbios mentais.

Foi baseado em um de seus livros, Modelo de Raiva e Medo, que desenvolvi o teste de temperamento deste blog. É muito útil na prática clínica conhecer melhor o temperamento do paciente. Isso ajuda no tratamento, tanto psiquiátrico como psicoterápico, como orienta o paciente quanto aos pontos fortes e fracos que precisam ser melhorados para uma vida mais tranquila e feliz.

A pesquisa está disponível pela internet e recomendo a todos que participem. Basta acessar www.temperamento.com.br

Veja abaixo a reportagem que foi ao ar hoje no Jornal Hoje, da TV Globo.



Médicos brasileiros estão desenvolvendo uma pesquisa que pode ajudar no tratamento de doenças comportamentais, como depressão, ansiedade e estresse. O estudo procura voluntários em todo país. Você pode participar de casa porque as informações são colhidas pela internet. E você recebe, de graça, a avaliação de uma equipe médica.

Os médicos já sabem: de 35% a 50% da população têm algum tipo de transtorno psiquiátrico. O problema é que a maioria não procura ajuda por falta de informação ou preconceito.

“Cada vez mais estão surgindo evidências de que o comportamento da pessoa, seu jeito de ser, está relacionado com as doenças mentais que a pessoa pode vir a manifestar e também com a forma que essa doença se manifesta na pessoa”, esclarece Gustavo Ottini, psiquiatra.

E há vários tipos de transtornos. Por exemplo, 10% da população já teve ou terá depressão ao longo da vida. Mulheres, pessoas com stress provocado por doenças ou que tiveram perdas em geral, como relacionamentos ou trabalho são as mais afetadas. Elas apresentam sintomas como falta de vontade, tristeza e perdem o prazer em atividades que antes gostavam de realizar.

Entre os homens a irritabilidade também chama a atenção e para saber como o temperamento influencia ou é influenciado pelos transtornos psiquiátricos um grupo de pesquisadores da PUC, de Porto Alegre, criou uma pesquisa na internet.

Qualquer pessoa com mais de 18 anos pode participar. Bastar ter um computador ligado à internet e um endereço eletrônico. O voluntário não precisa se identificar. E depois de responder o questionário, ele recebe na hora uma avaliação psicológica.

Uma espécie de mapa comportamental. A pessoa fica sabendo como estão os níveis de medo, sensibilidade, controle, vontade, se está ansioso, apático. Um diagnóstico rápido que pode servir para o início de um tratamento. A ideia é coletar os dados de 50 mil voluntários. Para os médicos, a estatística final pode ajudar nos consultórios.

“A escala de temperamento que a gente desenvolveu pode ser útil depois para consultórios de psicólogos e psiquiatras para antecipar o perfil do paciente e de que maneira aquela pessoa pode ter mais ou menos chances de desenvolver os transtornos psiquiátricos. Então abreviaria e ao mesmo tempo deixaria mais completa a avaliação, em pouco tempo”, diz Diogo Lara, psiquiatra.

Heloísa comemora os avanços que teve depois que descobriu e começou a tratar a depressão. Para ela, se conhecer é o primeiro e mais importante passo para viver melhor. “Tem coisas que são do temperamento, que de repente é normal. E outras que seriam transtornos psiquiátricos e a pessoa já vai se encaixar nisso e talvez procurar ajuda. Fica muito mais fácil”, comenta Heloísa Galvão, aposentada.

Fonte: Site G1 - Jornal Hoje - 12/01/2010

5 comentários:

Anônimo disse...

Não recomendo o teste de temperamento para quem tem esquizofrenia ou é suscetivel a stress, pois pode ficar irritado ou com depressão e não chegar a um resultado conclusivo. O melhor mesmo é consultar um psiquiatra logo que desconfiar que é depressivo ou tem um temperamento difícil.

Dr. Leonardo Figueiredo Palmeira disse...

De fato é importante que a pessoa que esteja passando por alto nível de estresse ou por algum problema emocional procure um profissional para uma avaliação. O teste de temperamento não visa substituir a avaliação médica, é somente um complemento. O profissional pode ajudá-lo a interpretar melhor seu teste e separar características que são do temperamento ou da doença.

Eloisa Maranhão disse...

Eu fiz o teste do temperamento on line, e depois de ler os resultados fiquei pensando: quem sou eu, realmente? O que sou eu e o que é da minha doença? Como separar isso? Inclusive, em algumas questões, eu não sabia se falava do meu temperamento antes da depressão e dos outros problemas mentais, ou depois, pq me sinto outra pessoa do que era...

Dr. Leonardo Figueiredo Palmeira disse...

Eloísa,

você tem toda a razão! Nosso temperamento se modifica com o tempo, seja por causa de alguma doença, seja por experiências de vida. Pessoas que antes eram mais inconsequentes, podem ficar mais cautelosas depois de alguns tropeços e lições de vida. Quantas vezes vemos isto acontecer? Como a doença mental traz sintomas que se confundem com nosso temperamento e nossa personalidade, esta confusão que você menciona é muito comum. Talvez uma psicoterapia possa auxilía-la a desfazer melhor os nós e a separar o que é e o que não é da doença. Doença tratamos com medicamentos e terapia, temperamento não temos como mudar rapidamente, é nossa essência, é inato, mas se modifica com o tempo e cabe a nós melhorarmos. Você já deve ter ouvido falar que algumas pessoas são como vinho, melhoram à medida que envelhecem. Essas pessoas conseguem reunir as experiências da vida e modificar o temperamento e a personalidade para melhor, tornando-se mais maduras, interessantes e equilibradas. Isso não depende necessariamente de ter ou não uma doença. Um abraço!

Tata disse...

Olá, Dr. Leonardo

Fiz tratamento por 6 anos de um TAG, tomava Sertralina. Fiquei sem medicação por 1 anos, hoje tomo Fluoxetina 20mg há 15 dias. Me sentia bem sem medicação, mas quando surgia uma situação de luta eu fugia...afff. Por isso voltei a usar medicação para não perder oportunidades...
A Fluoxetina na primeira semana me deixou muito desanimada e com insônia, nunca tive problemas para dormir...na segunda semana estou alerta e ansiosa durante o dia e anoite também, com insônia.
Queria me dar bem com essa medicação pois o custo é menor...
Quero sua opinião a respeito de:

Essa medicação é boa para o TAG?

Em 15 dias a fluoxetina já manifestou sei efeito completo???

Quero engravidar, qual a sua opinião sobre esse medicamento e gestação??

Obrigada!